Viciado em Cinema e TV (A Sequela) por Nuno Cargaleiro

Dezembro 13 2007

 

 

A Longa Caminhada de "A Bússula Dourada"

 

Inicialmente, "The Golden Compass" era o título escolhido para a trilogia de Philip Pullman. Em vez disso, ficou-se como referência do primeiro volume, ficando o conjunto de 3 livros (sendo "The Subtle Knife" e "The Amber Spyglass", respectivamente, o segundo e o terceiro) conhecido por "His Dark Materials".

 

Reconhecido e conceituado sobretudo no mundo anglo-saxónico, esta obra recente apela a um mundo fantástico, misturando reflexões sobre teologia, psicologia e física, numa apresentação que envolve os mais jovens, mas que procura apelar a atenção aos mais velhos, na jornada de crescimento de uma jovem criança, fadada de uma responsabilidade que atinge o mundo que lhe rodeia.

 

À primeira vista, a adaptação cinematográfica deste livro estaria naturalmente destinada ao sucesso. Contudo após a sua estreia, verifica-se que possivelmente não será bem assim. Na sua estreia (altura onde o lucro de bastantes blockbusters se destaca) não conseguiu ultrapassar a faixa "desapontante" dos 25,8 milhões de Dólares. Normalmente, após as primeiras duas/ três semanas de exibição, o lucro obtido decresce. Esta situção não será bem vista aos olhos de um estúdio que crendo na capacidade lucrativa do projecto apostou mais de 150 milhões na sua produção, e concerteza mais de metade na sua promoção mundial.

 

Apesar de internacionalmente os ganhos chegarem à estimativa de cerca de 55 milhões, preve-se uma grande caminhada para conseguir atingir o patamar pretendido do que é "costume" nos filmes de Natal.

 

Como ainda não tive a oportunidade desconheço pontos negativos ou positivos a apontar, contudo, causa-me estranheza estes valores. Apesar dos críticos apontarem maioritariamente comentários positivos à jovem actriz Dakota Blue Richards, questiono-me se o resto do elenco, apesar de reconhecido, será o conceituado "suficiente" para encabeçar e suportar um projecto desta envergadura! Daniel Craig é o James Bond actual, mas à parte disso nunca teve um projecto que se suportasse sobretudo na sua figura. Eva Green, apesar de apresentada em destaque nos créditos, é "apresentada" como secundária, não apontando muito para o "murmurinho do público" (embora, a imagem da Serafina Pekkala, a bruxa que Eva Green encarna, é possívelmente dos maiores encantos que o trailer tem). E Nicole Kidman, conta-se pelos dedos dos pés as vezes que esta menina conseguiu encabeçar num projecto desta envergadura, atingido "realmente" o sucesso.

 

Pode-se igualmente questionar se seria preferível uma promoção menos agressiva, mais discreta quer no meio e no seu conteúdo. Aliás, a primeir vez que vi o trailer fiquei com a sensação que fiquei a conhecer o argumento todo. Posso de facto ignorar se existem um maior desenvolvimento, mas o que interessa é os olhos do espectador. E para ele, este filme não captou a mesma sensação de mistério que projectos como "Harry Potter" e "Lord of the Ring" conseguiram captar (claro, com as devidas diferenças!).

 

Não estou com isto a desaconselhar "A Bússula Dourada", de facto ainda não o vi. Contudo, ó mais certo é não ser uma das minhas próximas escolhas durante a próxima (embora tenha alguma curiosidade, admito)...

 

Quando tiver mais novidades, digo-vos!...

 

 

 

 

publicado por Nuno Cargaleiro às 00:05
Tags:

Acabei de ver o filme e fiquei desiludido com o final do mesmo. Pois quando decidi entrar por esta aventura, desconhecia por completo o seu enredo e muito menos que se tratava de uma trilogia.
Então entristece-me saber que só saberei qual o final da história quando lançarem os próximos filmes. A sensação que dá é ser uma versão B dos Senhor dos Aneis. Contudo, por ter lido os livros do J. R. R. Tolkien, já estava à espera do seu formato de divisões.
Claro que sempre posso ir ler os restantes volumes da saga. Mas se não consigo organizar tempo para ler a minha queria Agatha Christie. Muito menos vou arranjar tempo para ler estes.
Até porque apesar da interessante história, penso que muito encanto se perde na maneira como ela é contada em filme. Não sei até que ponto o próprio livro completa a imaginação. Mas achei certas cenas demasiados fáceis e irrealistas, mesmo para um filme de fantasia.
Excelentes efeitos visuais. Oscar totalmente merecido.
Daniel a 29 de Julho de 2008 às 01:02

Dezembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
15

16
17
18
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


arquivos
pesquisar